BIBLIA SAGRADA


A MENSAGEM

A Bíblia é uma mensagem de Deus à Humanidade. A mensagem vem de fora de nossa Galáxia, para humanos em um Planeta que precisa das orientações do Criador do Universo.

A Mensagem da Bíblia é para uma civilização que se separou do seu Criador e precisa de orientações urgentes para não cair na EXTINÇÃO da raça humana.

Na Bíblia estão revelações da Divindade sobre as respostas que inquietam os homens a milênios – quem somos? Onde estamos?para onde vamos?

Estas respostas estão claras e precisas, para que o gênero humano e as demais espécies de vida da Terra não seja extintas por um colapso cósmico que nossa civilização se inseriu.

A Mensagem da Bíblia é de SALVAÇÃO da raça humana e demais espécies, que se encontram em um conflito cósmico entre seres extra terrestres com poderes sobrenaturais – “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” Manuscrito aos Efésios seção 06, parágrafo 12.

No centro deste conflito cósmico entre as Potestades Divinas e as hostes do mal está a raça humana, e um grande Plano de Resgate deveria ser feito para tirar os humanos dos poderes rebeldes. É esse Plano de Salvação, Resgate e interferência que é revelado nas Sagradas Escrituras; onde Deus delineia o seu plano de salvar a humanidade dos artifícios criados pelas as hostes rebeldes de seres sobrenaturais que tentam levar a raça humana para a EXTINÇÃO TOTAL e destruição deste e outros mundos.

“Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor...” Manuscrito aos Colossenses 01: 13. Essa é uma das grandes mensagens deste grandioso livro! É o propósito pelo qual a Bíblia foi escrita – SALVAR A HUMANIDADE do reino das trevas, ou das hostes do mal, anjos rebeldes que se desligaram do Criador do Universo e promoveram uma rebelião cósmica.

“Houve guerra no céu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o dragão. Também pelejaram o dragão e seus anjos; todavia, não prevaleceram; nem mais se achou no céu o lugar deles. E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos”. Apocalipse 12: 7 a 11.

Se você deseja saber mais sobre a Mensagem do Deus Criador do Universo aos homens da Terra, continue a ler a incrível história deste livro de 3500 anos, que tem resistido aos ataques de seres sobrenaturais e de homens incrédulos.



Escrito por Augusto às 13h58
[   ] [ envie esta mensagem ]




A ORIGEM HUMANA DA BIBLIA

Na atualidade a Bíblia é considerada um livro, mas ela é um conjunto de escritos antiguíssimos, incluindo livros, cartas e registros.

Na realidade é uma pequena coleção de manuscritos; ao todo são 66 manuscritos, sendo que 39 deles estão na sua primeira parte (Velho Testamento) e 27 na segunda parte (Novo Testamento).

Cada ´livro´ da Bíblia possui um nome que foi idealizado pelos povos que pertencia o escritor. Muitos livros receberam o nome do próprio autor (Isaias, Jeremias) outros receberam o nome do protagonista da história do livro (Josué, Rute), apesar de não serem estes os escritores.

Os livros do Velho Testamento foram escritos por Hebreus, uma antiga civilização que descendia de Abraão um homem caldeu. Dos Hebreus surgiram outra civilização os Israelitas, que tiveram uma grande participação nos escritos do VT; desta nação surgiram os Judeus, que também contribuíram para a coleção de manuscritos. Poucos escritores eram não judeus ou descendentes dos hebreus, e eles serão mencionados nos comentários sobre o Novo Testamento.



Escrito por Augusto às 13h56
[   ] [ envie esta mensagem ]




A ORIGEM DIVINA DA BIBLIA

Os manuscritos bíblicos na realidade tem cerca de 40 escritores; mas há um só autor. A mente atrás das Sagradas Escrituras é a Divina, e o autor é o Espírito Santo. Na própria Bíblia temos a revelação de que foi este membro da Divindade que ´expirou´ (soprou) as palavras sobre os escritores terráquios.– “Toda a Escritura é inspirada por Deus...” 2 Timóteo 3:16.

A linguagem do texto escreve em ´inspiração´, mas no grego em que foi escrito o texto a idéia é que ela foi soprada, respirada sobre os humanos para que escrevessem suas mensagens. “Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação, porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens santos falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo.” 2 Pedro 1:20 e 21.

Portanto o Autor da Bíblia assina: Espírito Santo - e é por isso que as doutrinas, assuntos e idéias são coerentes e não divergem em idéias centrais.

Como a Bíblia tem duas participações – a Autoria Divina e a Escrita humana – poderemos encontrar dificuldades aparentes, mas nunca divergência das idéias ou mensagens centrais.

As divergências doutrinárias que as denominações religiosas exibem são resultado de não seguirem uma única regra para a interpretação – deixar que a própria Bíblia se explique.

Escrito por Augusto às 13h55
[   ] [ envie esta mensagem ]




COMO OS ESCRITORES RECEBIAM A INSPIRAÇÃO ?

A inspiração da Bíblia para os escritores escreverem aquilo que Deus deseja revelar a humanidade, ocorria por diferentes processos sobrenaturais. O elemento sobrenatural é fundamental na inspiração bíblica, pois garante que as idéias a serem escritas em linguagem humana e personalizada daquele autor, sejam vindas de Deus e os seus escritos estejam em unidade com os escritores de outras épocas e lugares. Esse é o segredo da unidade doutrinária da Bíblia.

Algumas vezes os escritores recebiam visões – “No primeiro ano de Belsazar, rei da Babilônia, teve Daniel um sonho e visões ante seus olhos, quando estava no seu leito; escreveu logo o sonho e relatou a suma de todas as coisas” Dn 07: 1.

Outras vezes os escritores recebiam a palavra diretamente de Deus de forma audível – “Disse mais o SENHOR a Moisés: Escreve estas palavras, porque, segundo o teor destas palavras, fiz aliança contigo e com Israel” Êxodo 34:27 .

“Palavra que, em visão, veio a Isaías, filho de Amoz, a respeito de Judá e Jerusalém” Isaías 2:1.

É importante entendermos que cada escritor tem seu diferente estilo, mas as idéias e o conteúdo da mensagem são os mesmos porque provem da mente Divina. O autor que é o Espírito Santo é quem produz as mensagens, fazendo com que o tema de toda a Bíblia seja sem discordância.

Como cada autor viveu em uma data diferente, tinha personalidades diferentes, cultura e uma experiência singular, a forma como cada livro é escrito difere um do outro; elementos externos a mensagem, mas que compõem o texto literário, podem variar, mas a mensagem é única e coerente em todos os livros.

As idéias e verdades são de Deus, mas sua forma (literária) é humana; os homens foram inspirados, mas não as palavras.



Escrito por Augusto às 13h53
[   ] [ envie esta mensagem ]




ASPECTOS LITERÁRIOS DA BÍBLIA

Sob o aspecto literário, a Bíblia deve ser analisada como um livro qualquer. O seu elemento sobrenatural irá fazer a diferença sob a análise histórica, mas como obra literária veremos que os homens que a escreveram tiveram particularidades em seu estilo.

Há relatos históricos (Números, Deuteronômio, Rute, Evangelhos, Atos etc).

Há poesias e cânticos (Salmos, Cantares).

Há livros meditativos (Provérbios).

Há livros proféticos e simbólicos (Daniel e Apocalipse).

Como uma obra extensa, a Bíblia deve ser estudada com cuidado, pois o significado de cada texto está inserido na história do povo a quem se endereçava. Como as mensagens são morais e espirituais, se tornam mensagens universais. Até mesmos aspectos éticos, sociais e antropológicos podem ser aplicados em nossos dias, pois são (alguns) aplicáveis ao homem. Vários são os elementos culturais que poderiam ser deixados de lado, com o argumento de que ´não serviriam´para o homem moderno, mas a maioria são úteis.

A linguagem utilizada em cada manuscrito, foi traduzida para adaptar as idéias dos povos antigos (hebreus, judeus) à nossa linguagem. Essa obra de adaptação é feita para transmitir as idéias, e não as palavras em si.

Há muitas frases próprias dos hebreus e judeus (idiotismos) próprias de cada língua, que foram trabalhadas para transmitir as idéias centrais da língua pátria de cada nação.



Escrito por Augusto às 13h52
[   ] [ envie esta mensagem ]




ESCRITORES DA BÍBLIA

Os 40 escritores da bíblia são de origem das mais variadas, que foram escolhidos por Deus de acordo com a necessidade do povo que vivia no momento da mensagem.

De acordo com a evolução cultural, social e espiritual da humanidade, os autores foram sendo escolhidos para trazer as mensagens em seu invólucro humano apropriado.

A Bíblia tem escritores das mais variadas origens, desde Reis e Estadistas, a lavradores, bioadeiros e pescadores. Geralmente Deus escolhia homens simples para inspirar-los a escrever para que o povo percebesse que a origem da mensagem nunca poderia vir de uma mente tão limitada como aquela, e reconhecessem que a mensagem fosse Divina. Mas em outros casos as mensagens foram dadas a homens sábios e doutores das letras, para que os assuntos fossem profundos e abrangentes.

Abaixo os autores de cada livro; em alguns casos a autoria é certa, mas em outros onde as evidências textuais são mais raras, citamos o que a maioria dos pesquisadores aceitam:

MOISÉS – Gênesis, Êxodo, Levíticos, Deuteronômio e Jó (Moisés era hebreu, sua família era escrava no Egito Antigo, e por um incidente acabou se tornando filho adotivo da família do Faraó. Recebeu uma educação elaborada dos Egípcios e uma formação religiosa sólida dos hebreus. Teve a chance de ser o Faraó ou alguém influente na corte Egípcia, mas frustou o plano Divino de ser um Líder Egípcio influente para favorecer o seu povo escravo. Apesar disso Deus usou sua educação nas letras e ciências antigas (tanto no Egito quanto em Mídiã) lhe revelando visões sobre a Criação do Universo e a história dos Patriarcas. Foi um Profeta destacado.

SALOMÃO – Segundo rei de Israel, esse destacado monarca era conhecido por sua extrema sabedoria. Escreveu os livros de Provérbios (sabedoria popular), Eclesiastes (filosofia da vida) e Cantares (poemas de amor).

(EM EDIÇÃO)



Escrito por Augusto às 13h51
[   ] [ envie esta mensagem ]




MOISÉS SABIA ESCREVER? - Parte I

E a História tem calado muitos críticos da Bíblia. A redação do Pentateuco por Moisés é um bom exemplo. Até pouco tempo atrás, afirmava-se que a invenção do alfabeto tinha sido feita pelos séculos XII ou XI a.C., sendo este argumento apresentado para "provar" que Moisés não podia ter escrito o Pentateuco, visto que em seu tempo não haviam ainda inventado a arte de escrever.

 

 No entanto, escavações arqueológicas um Ur, na antiga CaIdéia, têm comprovado que Abraão era cidadão de uma metrópole altamente civilizada. Nas escolas de Ur, os meninos aprendiam leitura, escrita, Aritmética e Geografia. Três alfabetos foram descobertos: junto do Sinai, em Biblos e em Ras Shamra, que são bem anteriores ao tempo de Moisés ( 1500 a.C.).

 

Estudiosos modernos, baseados em evidências irrefutáveis, sustentam que Moisés escolheu a escrita fonética para escrever o Pentateuco. 0 arqueólogo W F. Albright datou esta escrita do início do século XV a.C. (tempo de Moisés). Interessante é notar que essa escrita foi encontrada no lugar onde Moisés recebeu a incumbência de escrever seus livros (Êxodo 17:14).

 

Veja o que disse Merryl Unger sobre a escrita do Antigo Testamento: "A coisa importante é que Deus tinha uma língua alfabética simples, pronta para registrar a divina revelação, em vez do difícil e incômodo cuneiforme de Babilônia e Assíria, ou o complexo hieróglifo do Egito."

 

Deus sempre sabe mesmo o que faz! Pense bem: se o  alfabeto tivesse sido realmente inventado pelos fenícios, cuja existência foi bem posterior à de Moisés, e se as escritas anteriores - hieroglifica e cuneiforme - foram apenas decifradas no século passado, como poderia Moisés ter escrito aqueles livros?

 

Se o tivesse feito, só poderia fazê-lo em hieróglifos, língua na qual a própria Bíblia diz que Moisés era perito (Atos 7:22) e, nesse caso, o Antigo Testamento teria ficado desconhecido até o século passado, quando o francês Champollion decifrou os hieróglifos egípcios.

 

Acontece que, no princípio do século XX, nos anos de 1904 e 1905, escavações na península do Sinai levaram à descoberta de uma escrita muito mais simples que a hieróglifica, e era alfabética! Com essa descoberta, a origem do alfabeto se transportava da época dos fenícios para a dos seus antecessores, séculos antes, os cananeus, que viveram no tempo de Moisés e antes dele.

 

Portanto, foram estes antepassados dos fenícíos que simplificaram a escrita. E passaram a usar o alfabeto em lugar dos hieróglifôs, isto é, sinais que representam sons ao invés de sinais que representam idéias.

 

Moisés, vivendo 40 anos numa região (Midiã) onde essa escrita era conhecida, viu nela a escrita do futuro, e passou a usá-la por duas grandes razões: ( 1 ) a impressão grandiosa que teve de usar uma língua alfabética para seus escritos e que se compunha de apenas 22 sinais bastante simples comparados com os ideográficos que aprendera nas escolas do Egito; (2) Moisés compreendeu que estava escrevendo para o seu próprio povo, cuja origem era semita como a dos habitantes da terra onde estava vivendo, e que não eram versados em hieróglifos por causa de sua condição de escravos.



Escrito por Augusto às 13h50
[   ] [ envie esta mensagem ]




MOISÉS SABIA ESCREVER? - Parte II

De fato, há muitos achados arqueológicos confirmando a veracidade das Escrituras, mas vou mencionar apenas mais um. 0 livro do profeta Daniel, no capítulo 5, menciona que o rei de Babilônia em 539 a.C. era Belsazar. Mas a História oficial afirmava que esse homem nem sequer existira. "Para vexação de tais críticos, W. H. F. Talbot publicou em 1861 a tradução de uma oração - escrita em caracteres cuneiformes - oferecida pelo rei Nabonidus, na qual ele pede aos deuses que abençoem seu filho Belsazar v.23.

 

 Os críticos, então, aceitaram a existência de Belsazar, mas em sua resistência contra a Palavra de Deus, alguns deles continuaram insistindo que Belsazar jamais fora identificado como rei, fora da Bíblia. Até que, em 1924, foi traduzido e publicado o Poema de Nabonidá (Tablete n2 38.299 do Museu Britânico) por Sidney Smith. Esse documento histórico oficial atesta que Nabonidus deixou Babilônia e se dirigiu a Tema, e no trono deixou quem? Belsazar!

 

Para vergonha dos críticos,'uma vez mais o relato bíblico estava confirmado ' Daniel vivia na,corte de Babilônia e estava familiarizado com esse costume de o filho assumir o cargo do pai, quando este saía em excursões militares. Portanto, "em instância após instância quando se destacava a inexatidão históríca como sendo prova da autoria tardia e espúria

 

de; documentos bíblicos, o relatório dos hebreus ten sido vindicado pelos resultados das escavações recentes, e comprovou-se que os juizos zombeteiros do documentaristas carecem de fundamento. Outro aspecto incrível é que, embora escrita poriudes, a Bíblia seja útil para todos os tipos de culturas e épocas.

 

Realmente é notável que a Bíblia tenha vindo"mediante a nação judaica, nação sem nenhuma owa literatura cuja qualidade se aproxime da excelência  literária da Bíblia. 0 Talmude dos judeus pode somente ser contrastado com a Bíblia em suas qualidade literárias. Como os judeus, povo em constante tumito e revolta contra os princípios estabelecidos na Bíblia, e naquele tempo uma raça isolacionista e tocante, puderam produzir em toda a sua debilidade e conclusão um trabalho de tão sublime força e harmonia que ensina a fraternidade entre toda a humanidade. Não há explicação natural para este fenômeno".25

 

Outros documentos religiosos, tais como o Alcorão dos muçulmanos e o Livro de Mórmon, podem se declarar ser a própria Palavra de Deus, mas não contêm as provas de autenticidade que há na Bíblia (como, por exemplo, o fenômeno das profecias cabalnente cumpridas).



Escrito por Augusto às 13h49
[   ] [ envie esta mensagem ]




COMO FOI ESCRITA A BÍBLIA?

A Bíblia como você conhece, não foi escrita em papel e livros bem elaborados como os de hoje ou de décadas atrás, com capa, letras de impressão etc.

Os primeiros escritos da Bíblia foram escritos em couro de cabras e ovelhas (pergaminho) e no século VI em Papiro, que foi quando os Egípcios começaram a exportar esse artigo.

Os primeiros escritos da Bíblia foram feitos em rolos de pergaminhos, que chegavam a ter metros de comprimento; os rolos mais longos eram os de Reis, Crônicas, Samuel e Salmos.

Várias cópias eram feitas de cada livro, e este ofício era feito por profissionais (Escribas) para garantir a fidelidade das novas cópias. Às vezes rolos antigos eram reutilizados (Palimpsesto) e novas cópias eram feitas em cima de Pergaminhos já utilizados.

A língua em que foi escrito os primeiros manuscritos era o Hebraico; é uma língua semita, dos habitantes de Canaã, que possui 22 letras e é escrita da direita para a esquerda. Essa língua era escrita sem intervalos entre as palavras, sem sinais de pontuação ou vogais.

O Novo Testamento foi escrito em Grego, em meados e no final do primeiro século de nossa era. Foi escrito no grego koinê (grego popular) falado pelas massas do império romano, que herdara a cultura grega, rica em recursos literários e artísticos (330 AC – 330 DC). Os escritos de Paulo foram feitos no Grego Erudito e os evangelhos de Marcos e João e o Apocalipse escritos no Grego Koinê.

Há uma terceira língua envolvida nos escritos Bíblicos, o Aramaico, que foi uma língua que surgiu dos caldeus que dominaram o mundo (e os Judeus) por décadas. É uma mistura da língua judaica, babilônica, e persa. Trechos da bíblia estão em aramaico (Gn31:47, Jr 10:11; Dn 2:4  e 7:28).



Escrito por Augusto às 13h45
[   ] [ envie esta mensagem ]




QUEM TRADUZIU ?

O Velho Testamento originalmente em hebraico, foi traduzido para o Grego por 70 Anciãos Judeus, e reunido na Septuaginta (Alexandria – Egito). Esta é a versão em Grego da Bíblia (284 – 247 AC). Esta Bíblia foi utilizada por Jesus e os discípulos.

A Bíblia foi traduzida para o Latim (língua dos romanos) somente em 404 DC, realizada por Sofronio Eusebio Hierônimo.

Depois disto com o advento do Renascentismo, várias traduções foram feitas em várias línguas: Wyclife fez para o Inglês (1611); Lutero para o Alemão (1522 – AT; 1532 – NT); Francisco Enzimas fez para o Espanhol (1543); para o português (Portugal) as primeiras porções apareceram em 1280, e no Brasil a Bíblia foi liberada somente depois da Independência em 1830. João Ferreira de Almeida traduziu a bíblia para o português em 1681 (VT) e Jacobus Akker continuou seu trabalho e a tradução do NT em 1753.



Escrito por Augusto às 13h44
[   ] [ envie esta mensagem ]




AS TRADUÇÕES SÃO CONFIÁVEIS?

Como toda e qualquer tradução, algo se perde das expressões particulares de uma civilização (idiotismos) e que ao serem transportadas para a nova língua tem de ser adaptadas. Mas as idéias (de salvvação, do amor de Deus) são preservadas em idéias e verdades da nossa língua e de outras línguas.

As traduções são feitas de manuscritos antigos, e os melhores documentos são escolhidos para serem traduzidos. Algumas versões são traduzidas direto do original em hebraico e grego; outras (mais antigas) partem de uma tradução já feita (latim, alemão etc).

Existem cientistas e pesquisadores atrás de cada empenho para traduzir as Bíblias.Novamente afirmamos, que as dificuldades doutrinárias estão quando se lêem a Bíblia e não quando se traduz; é a forma como as pessoas tentam dar significados aos textos ou interpreta-los que trazem dificuldades.

Se a Bíblia for deixada para responder a si própria, reunindo-se textos de um mesmo tema, veremos que sua unidade temática é preservada e as doutrinas não possuirão divergências.

A tradução do manuscritos em hebraico e grego são muito rigorosos e seguem regras fixas para se eliminar erros. Citamos algumas regras que os pesquisadores seguem:

Critérios Externos ao texto - comparam os manuscritos bíblicos a outros manuscritos antigos- as cópias usadas, são escolhidas dentre as mais confiáveis

Critérios Internos:- a cópia mais difícil de entender é a escolhida pois denota antiguidade do texto;- a cópia mais breve é priorizada, pois revela que não foi acrescida de comentários; - a cópia que mais difere das outras é escolhida, por revelar originalidade;- a cópia que melhor explica a origem das demais cópias.

Essas e outras regras tem como objetivo averiguar se houve erros nas cópias, tenta restaurar à forma original dos textos e analisa a confiabilidade de cada uma.



Escrito por Augusto às 13h43
[   ] [ envie esta mensagem ]




QUEM COPIAVA OS MANUSCRITOS BÍBLICOS?

Esse ofício era restrito a uma classe de estudiosos e pesquisadores da nação hebraica e judaica. A rigidez e reverencia para o oficio de copias a Palavra de Deus era tão grande, que tinham ´penas´ (canetas) especiais para isso; uma pena especial era reservada para escrever o nome Sagrado de Deus – YHWH – o Tetragrama que trazia o nome de Yaweh, ou Deus Eterno.

Os Escribas eram os responsáveis por reescrever as cópias através dos séculos que essas se desgastavam. Era um ofício de família e considerado Sagrado. Os essênios (250 AC) foram um segmento dos judeus que se dedicaram a fazer cópias e os Manuscritos do mar Morto encontrados em 1947. Os manuscritos foram encontrados em condições ainda favoráveis, dentro de jarros de barro lacrados; percebemos como as técnicas de preservação que esses profissionais seguiam preservaram por 2000 anos os manuscritos.

Os massoretas foram outros grupos de copistas dos manuscritos, que eram conhecidos por sua perfeição em cada cópia. Eles começaram o seu trabalho em 500 DC, e seguiram ao longo de 1000 anos produzindo novas cópias da Bíblia. Possuíam um manual de regras e eram rígidos em seguir essas regras em cada cópia. Citamos algumas regras que eles seguiam:

- contavam as letras antes de copiar, e conferiam ao final;- nunca copiavam decorando as palavras;- não liam em voz alta ao copiar; - numeravam os trechos antes de escreve-los; etc.Eram famosos por reproduzirem cópias perfeitas.

Percebemos como o ofício de copiar os manuscritos era levado a sério, e como existia uma ciência textual atrás deste ofício.

Além disto há o elemento sobrenatural; Deus certamente providenciou para que através dos séculos as Suas Palavras fossem preservadas. A unidade temática e a centralização da mensagem de salvação é a maior prova de que os textos não perderam seu propósito original.



Escrito por Augusto às 13h42
[   ] [ envie esta mensagem ]




A BÍBLIA HOJE

É traduzida para 2.300 linguas e 24, 9 milhões de Bíblias são distribuídas todo ano.

A Sociedade Bíblica está atrás deste grande esforço em traduzir e distribuir as Bíblias na atualidade. Foi fundada em 1804 (S. B. Britânica e Estrangeira) e hoje são 137 ao todo, atendendo 200 países.

Existe ainda os Gideões Internacionais, fundado em 1899, formado por 155.000 homens de negócios que contribuem para distribuição de Bíblias. Produzem o NT pó $ 1, 21 (2,85 reais) garantido um acesso fácil para todas pessoas no mundo.

A Bíblia pode ser adiquirida nas mais variadas formas e versões. Há versões com comentários (na margem), versões eruditas, e até traduções na Linguagem de Hoje (feitas a partir do hebraico e grego).

Existem várias versões da Bíblia, ou seja, várias traduções, mas que não alteram a mensagem central. As versões ajudam a ampliar o entendimento desta mensagem antiguíssima.

JFA – a João Ferreira de Almeida é a mais popular das versões no Brasil. Já passou por várias correções para eliminar cacófagos (seqüências de palavras com som estranho), e por questões de semântica (atualização das palavras).



Escrito por Augusto às 13h41
[   ] [ envie esta mensagem ]




O CONTEÚDO DA BÍBLIA

A Bíblia é um conjunto de escritos de civilizações antigas (hebreus, israelitas e judeus), mas nem por isso deixa de ser originariamente uma mensagem da Divindade para os homens.

É um conjunto de histórias, relatos, descrições, leis, poesias, cânticos, testemunhos e profecias. Foram ali deixados com o objetivo de orientar a humanidade; cada relato tem conselhos e orientações Divinas. Cada história tem a interferência de Deus. Essas interferências e orientações é que tornam os relatos importantes. São uma diretriz para uma humanidade que perdeu o seu ideal ou referencial Divino.

Mas as profecias são o ponto alto das Sagradas Escrituras; as profecias Messiânicas, escatológicas e até mesmo as profecias locais, tem grandes aplicações ao nosso tempo.



Escrito por Augusto às 13h40
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
  14/08/2005 a 20/08/2005


Outros sites
  DOUTRINAS ADVENTISTAS
  JESUS VOLTARÁ
  DIA DO SENHOR
  APOCALIPSE
  CIÊNCIA NA BIBLIA
  PROFECIANEWS
Votação
  Dê uma nota para meu blog